quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Estou grávida! - Parte II (por favor, leia até o final)

Reprodução
Na reflexão anterior, contei que eu e meu marido decidimos adotar uma criança, já que seria humanamente impossível engravidarmos. Após perguntar a Deus se a nossa escolha era certa, tive uma experiência linda. Numa madrugada eu não conseguia dormir, levantei para conversar com o Pai. Ao abrir a Bíblia, a mensagem que recebi foi sobre adoção. Falava do quão José foi bondoso e benevolente em adotar Cristo e nos fazia lembrar de como tantas crianças neste mundo necessitam receber amor, dedicação, carinho, afeto...

Além disso, descobri que nos livros “Testemunhos Seletos” e “Beneficência Social”, Ellen G. White afirma constantemente que (em outras palavras) é nosso dever cristão cuidar e abrir o coração e o lar àquelas crianças que necessitam encontrar lugar conveniente para viver.

Nesta nova e intensa jornada, nossa gravidez do coração nos proporcionou a oportunidade de conhecermos um abrigo aqui no Recife, onde passamos a ouvir histórias carregadas de muita dor e sofrimento. Nenhum ser humano merece ter uma vida tão miserável quanto aquelas crianças e adolescentes nos apresentaram. Frequentar este abrigo e ajudar no que podemos nos fez ver a vida de uma outra perspectiva. Cada tarde que passamos com aquelas pessoas tão especiais nos faz lembrar de como somos abençoados e do imenso amor que Deus tem por nós e, além disso, nos faz termos plena convicção de que esta foi a maneira que Ele encontrou para nos preparar e sentirmos o privilégio de termos em nosso lar uma criança que poderemos ajudar a formar um caráter apropriado para o céu.

Concluímos então que, por ser Jesus Cristo filho único (João 3:16), todos somos adotados (Efésios 1:5; Romanos 8:15). Depois de tudo, seguiremos sim o conselho de Jesus: “Porque Eu vos dei o exemplo, para que, como Eu vos fiz, façais vós também".

Karla Predo é coordenadora pedagógica e membro da igreja de Boa Viagem. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário