quarta-feira, 11 de maio de 2016

“Você é meu”

Reprodução
Você condiciona a sua existência a alguém? Já parou para pensar em como seria a sua vida sem a presença de determinada pessoa? Ou quem você seria sem ela? É natural fazer essa associação com pais, cônjuges e amigos. Diversas vezes já avaliei que sem o apoio da minha mãe eu não teria feito faculdade, intercâmbio, que eram sonhos que eu almejava realizar. 

Até que dia desse eu estava ouvindo uma música e alguns dos seus versos desde então não saíram mais da minha mente: “Você sem mim é Deus. Mas sem você quem eu sou? O que restou?”. Acredito que jamais eu tinha parado para pensar quem eu sou sem Deus. Não falo aqui sobre a criação do mundo, mas o que seria de cada um de nós se Deus não existisse? 

E então comecei a tentar enumerar tudo o que sou ou me tornei graças a Deus. Todas possibilidades, oportunidades pessoais, profissionais. Chances de recomeçar. Sim, quando falamos dEle ainda existe essa possibilidade: de quem eu ainda posso ser. Mas o que mais me chama atenção é que sem mim, Ele é Deus. Soberano, amoroso, justo, Pai da Eternidade. Incondicionalmente, Deus é Deus. E mesmo assim Ele insiste em nos resgatar, em nos perdoar. Simplesmente por amor aos Seus filhos. Contudo, sem Ele, o que resta de mim? 

Tenho certeza de que não somos nada sem Deus. Muitas vezes, por exemplo, quando tudo na sua vida começa a dar errado é sinal de que falta algo. E esse algo não tenho dúvidas de que seja a presença de Deus na vida. Existe gente que não tem comunhão e aparentemente tem uma vida plena, mas é questão de aparência. A vida sem Deus é uma vida vazia, pois só Ele é capaz de preencher todo o nosso ser. 

Que sejamos mais dependentes de Deus. Tão dependentes quanto um bebê é da sua mãe, que precisa ter toda a sua vida condicionada a quem o gerou. Que Ele seja o primeiro e tudo na nossa vida. 

Tatyanne de Morais é jornalista e, na igreja de Boa Viagem, integra a equipe de Comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário