sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Deus eterno

Reprodução
“Antes que os montes nascessem, ou que tu formasses a terra e o mundo, mesmo de eternidade a eternidade, tu és Deus”, Salmos 90:2

Os físicos têm trabalhado exaustivamente em uma teoria que possa unificar as forças existentes no universo. Uma dessas teorias que surgiu nos anos 1990 chama-se teoria-M. Essa teoria diz que tudo, matéria e energia, é formada por minúsculas supercordas, e que o universo flui através de 11 dimensões. Desta forma, não vivemos em um universo com somente 3 dimensões espaciais, mas sim com 11 dimensões: 3 dimensões espaciais (altura, largura, comprimento), 1 temporal (tempo) e 7 dimensões recurvadas (dimensões que não temos como perceber), sendo a estas atribuídas a propriedades físicas, como massa e carga elétrica. Essas 7 outras dimensões estão presas no mundo subatômico, através de supercordas.

De uma certa maneira estamos imersos nessas dimensões e de uma forma peculiar estamos presos na dimensão tempo. O tempo somente flui em um único sentido para nós, não podemos alterar facilmente o seu ritmo em relação a nós. As máquinas do tempo são fisicamente factíveis, contudo não são realizáveis do ponto de vista da engenharia.

A Bíblia afirma que o tempo não existe para Deus. Assim, Deus é eterno. Pode-se interpretar essa eternidade de duas maneiras distintas. Em um ponto de vista, “Deus é eterno” significa que Ele existe eternamente, numa linha de tempo que não tem começo nem fim. Em outro ponto de vista, “Deus é eterno” significa que Deus existe fora e além do tempo, como tal; as categorias de tempo não se aplicam a Ele de modo algum.

Deus nos faz uma promessa em João 5:24 que se seguirmos a Sua palavra e crermos em Jesus, Ele nos concederá a vida eterna. Desta forma não estaremos mais fortemente vinculados a essa dimensão temporal a que estamos hoje.

Marcondes Ricarte Jr. é engenheiro da Computação e, na igreja de Boa Viagem, ancião e líder do Ciclismo

Nenhum comentário:

Postar um comentário