sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Conectados

Reprodução
Certo dia eu estava em um aeroporto aguardando um voo. Comecei a observar as pessoas e, por um momento, me peguei refletindo como a tecnologia tem causado um pouco de superficialidade e frieza nos relacionamentos. Analisando rapidamente, concluí que ao menos 85% daqueles presentes estavam com seus smartphones ligados.

Uma recente pesquisa apontou que 89% dos 2.025 entrevistados consideram que checam suas mensagens de texto excessivamente e se sentem presos ao aparelho. Nove em cada dez pessoas entrevistadas contaram que seus parentes ou amigos se distraem de conversas para ‘verificarem seus contatos online’. E 25% dos participantes revelaram já ter tido sérios atritos com pessoas próximas pelo mesmo motivo.

Psicóloga do Hospital São Francisco (SP), Sabrina Vasconcelos afirma que o impacto é maior sobre casais com mais tempo de convívio. “No começo da relação, essas tecnologias funcionam como um facilitador do afeto. Elas mandam mensagens de texto de carinho ao longo do dia. Com a convivência, os dispositivos passam de cupidos a mensageiros incompetentes. Nos relacionamentos já desgastados, o uso da tecnologia pode virar um refúgio perigoso para que essas pessoas não entrem em contato uma com a outra”.

Não é difícil afirmarmos que os dispositivos móveis também podem ter um papel disfuncional em nosso relacionamento com Deus. Basta analisarmos quanto tempo podemos ficar em uma rede social. E até mesmo notar o quanto utilizamos o equipamento nos momentos de culto na Igreja versus o tempo dispensado em nossa comunhão.

Ouvimos que aquilo que para nós é prioridade, sempre teremos um tempo maior. O apóstolo Paulo, em sua carta aos Colossenses, no capítulo 3 verso 16, diz que "A palavra de Cristo habite em vós com toda a sua riqueza...". Que seja este o nosso maior desejo e que a tecnologia não seja um empecilho para nossas relações pessoais e também com nossa comunhão com o nosso Senhor.

Samuel Brito é formado em administração e, na igreja de Boa Viagem, integra a Tesouraria e o Diaconato

Nenhum comentário:

Postar um comentário