quinta-feira, 20 de abril de 2017

Nós e Jesus

Reprodução
Algumas perguntas ficam na minha mente e compartilho com vocês. Por que ainda existem países em que seus habitantes nunca ouviram falar de Jesus? O cristianismo ainda é fraco? Faltam recursos para que se fale mais sobre nosso Redentor?

Há uma frase de autor desconhecido que fala o seguinte: “Se a vida e a morte de Sócrates, o filósofo grego da antiguidade, foram de um sábio; a vida e a morte de Jesus foi de um Deus”. Linda frase, não? De fato, toda a trajetória do Cristo não só o apontam como um homem extraordinário, de valores e morais distintos, como também a encarnação divina. Algo que nunca iremos plenamente entender com nossa limitada mente humana.

Dos vários ensinamentos do Mestre, um em especial nos serve como alerta. “E traziam-lhe também meninos, para que ele lhes tocasse; e os discípulos, vendo isto, repreendiam-nos. Mas Jesus, chamando-os para si, disse: Deixai vir a mim os meninos, e não os impeçais, porque dos tais é o reino de Deus. Em verdade vos digo que, qualquer que não receber o reino de Deus como menino, não entrará nele”, Lucas 18:15-17. Podemos ver que Jesus sempre tratou com amor e atenção a todos, sem fazer distinção por classe social, dinheiro, intelecto, etc.

Minha oração é para que em nossa igreja isso seja cada vez menos presente. Que todos possam cumprimentar e se interessar mais uns pelos outros, não só estar perto de seus pares. Precisamos dar o exemplo para o mundo, cada vez mais separado e dividido.

Se Cristo ainda não retornou, devemos ter mais afinco ainda para falar dEle aos que nunca ouviram e precisam receber a mensagem. E que esses recebam a mensagem por nós, mas como amigos nossos e não estranhos.


Jaime Braz é membro da igreja de Boa Viagem

Nenhum comentário:

Postar um comentário