quinta-feira, 4 de maio de 2017

Nós e Jesus

Reprodução
“Amai-vos uns aos outros”, João 15:12. Tão bonito na teoria, mas porque na prática fazemos diferente? Será que nos importamos mesmo com nosso próximo?

Muitas vezes só damos um “bom dia”, ou um “oi, tudo bem?”, sem nem prestar atenção na resposta do nosso colega. Ou chamamos de irmão porque nem sabemos o seu nome. Pode ser um vizinho, colega de trabalho, do colégio... Só porque é um pouco diferente, não nos importamos. Ou só criticamos e julgamos, sem nem saber o outro lado da história.

“O pecado é o maior de todos os males, e cumpre-nos apiedar-nos do pecador e ajudá-lo. Muitos há que erram, e sentem sua vergonha e loucura. Estão sedentos de palavras de animação. Pensam em suas faltas e erros a ponto de ser quase arrastados ao desespero. Não devemos negligenciar essas pessoas. Se somos cristãos, não passaremos de largo, mantendo-nos o mais distante possível daqueles que mais necessidade têm de nosso auxílio. Ao vermos criaturas humanas em aflição, seja devido a infortúnio, seja por causa de pecado, não diremos nunca: não tenho nada com isso” (Ellen G. White - O Desejado de Todas as Nações, p. 504).


Tem uma música do Vocal Livre que resume bem tudo isso: “e se tivesse mais perdão, se no lugar de apontarem tantos erros fossem estendidos mais abraços, mais olhares de aceitação. (...) Quero ver mudar, mas se eu aqui só esperar, eu sou um deles, sou só um deles. Minha oração só é real transformação se começar em mim. Haja mais amor a começar em mim.”

Que possamos nos espelhar diariamente em Jesus, que é o nosso maior exemplo de amor. E assim, possamos expressar esse amor por todos que são chamados Seus filhos. É um verdadeiro processo de entrega completa e morte para eu.

Julyanne de Morais é enfermeira e, em Boa Viagem, integra a Comunicação e a liderança do Primeiras Horas

Nenhum comentário:

Postar um comentário