quinta-feira, 1 de junho de 2017

Por você, Letícia

Reprodução
Vinte e quatro de maio de 2017, “Maria”, Auxiliar de Desenvolvimento Infantil (ADI) da creche em que trabalho, entra com “Letícia” nos braços enrolada em uma toalha e com os olhos arregalados. Assustada, Maria me pede pra ouvir o que Letícia, de 3 anos, tem para me dizer. A garotinha estava sentindo dor na genitália e me conta: “foi a namorada da mamãe eu fez assim”... Com seus dedinhos minúsculos mostra como estava acontecendo o abuso!

Paro, respiro fundo, saio para chorar e orar. Lembro da palavra de Deus quando diz: “Sê forte e corajoso; não temas, porque o Senhor, teu Deus, é contigo”, Josué 1:9. Rapidamente volto para minha sala. Ligo para o Conselho Tutelar e peço orientação, afinal, já era quase a hora das crianças largarem e eu não podia mais entregar Letícia para quem à mal tratava. O conselheiro me diz para levá-la para a DPCA e não mais entregá-la à família. Naquele momento, penso: “nisto conhecemos o que é o amor: Jesus Cristo deu a sua vida por nós e devemos dar a nossa vida por nossos irmãos”, 1 João 3:16. Eu precisava ajudar Letícia!

Lá fomos nós três. Horas na delegacia, IML, Conselho Tutelar... Sua genitora, furiosa, fez ameaças pesadas, negava tudo e defendia sua companheira. Terminamos às 23h10. Chegando em casa, agradeci a Deus por aquele dia ter acabado. Dois dias depois, recebo o pior telefonema da semana. A Gerência decide nos afastar da unidade para nossa segurança.

Às pressas tivemos que ir embora da creche, não nos deixaram nem voltar para pegarmos nossos pertences. Muita tristeza, muito choro... E agora? Meu trabalho é meu ministério, como Deus pôde permitir isso(?), indaguei! Deus silenciou.

Enquanto ainda questionando os motivos pelo qual tudo isso foi permitido, li Jeremias 26. Para minha surpresa, entendi que eu estava no lugar certo, na hora exata e que aquela missão me tinha sido dada. Não era por mim, era por Letícia, que clamava por socorro. E se minha missão naquele lugar que tanto amo acabou, “porque estás assim tão abatida, ó minh’alma? Porque te angustias dentro de mim? Deposita toda a tua esperança em Deus! Pois ainda O louvarei por Seu livramento; Ele é o meu Salvador”, Salmos 42:5.


Karla Predo é coordenadora pedagógica e membro da Igreja de Boa Viagem

Nenhum comentário:

Postar um comentário