quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Seja justo

Reprodução
Nos últimos anos temos ouvido constantes notícias sobre corrupção. Seja na indústria de carnes, vendendo produtos estragados e maquiados para que pareçam novos; seja na indústria da construção civil, com superfaturamento em obras e desvio de dinheiro público. O mundo esportivo também não escapa, com vários casos de doping. A Rússia foi banida do atletismo nas últimas Olimpíadas por esse motivo. Na vida pública não é diferente, com vários políticos do alto escalão do governo sendo flagrados negociando propina.

Essa situação toda leva a pensar: "existe ainda um justo que se salve"? A começar por nós, como temos reagido a pequenas corrupções do cotidiano? Qual a sua atitude quando recebe um troco errado? Ou quando está despreparado para uma prova importante e surge uma “cola”? Ou ainda quando você é parado numa blitz e está com o documento vencido? 


A Bíblia conta a história de três jovens que estavam no meio de uma nação corrupta, mas não se corromperam. Em Daniel 3:5-6 diz: "Logo que ouvirdes o som da trombeta, da flauta, da harpa, da cítara, do saltério, da gaita de foles, e de toda a sorte de música, prostrar-vos-eis, e adorareis a imagem de ouro que o rei Nabucodonosor tem levantado. E qualquer que não se prostrar e não a adorar, será na mesma hora lançado dentro duma fornalha de fogo ardente". Questionados por que não se corromperam os jovens responderam em Daniel 3:17-18: "Eis que o nosso Deus a quem nós servimos pode nos livrar da fornalha de fogo ardente; e Ele nos livrará da tua mão, ó rei. Mas se não, fica sabendo, ó rei, que não serviremos a teus deuses nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste".

O final da história é bem conhecido e questiono: quem somos? Mais um corrupto no mundo? Ou um justo, que parece não existir? Este será fiel a Deus mesmo quando tudo parece desmoronar - assim como o jovens hebreus no meio da Babilônia. Escolha ser um justo!

Igor Lopes é fisioterapeuta e membro da igreja de Boa Viagem

Nenhum comentário:

Postar um comentário